BERT: conheça o recurso do Google que promete melhorar os resultados das buscas

BERT: conheça o recurso do Google que promete melhorar os resultados das buscas

Recentemente, o Google anunciou que está começando a utilizar um novo sistema de inteligência artificial criado em seus laboratórios de pesquisa. A nova tecnologia, conhecida como Bidirectional Encoder Representations from Transformers, ou simplesmente BERT, promete melhorar os resultados entregues nas buscas e já está sendo considerada sua maior mudança dos últimos cinco anos.

A novidade foi anunciada pelo vice-presidente de pesquisa da organização, Pandu Nayak. Em seu artigo, ele afirma que, inicialmente, o novo sistema otimizará os resultados de uma em cada 10 pesquisas, funcionando apenas nos Estados Unidos para buscas em inglês. Mas, ao longo do tempo, a tecnologia será estendida a outros idiomas e localidades.

Se você deseja entender o que muda com o novo recurso do Google, está no lugar certo. Continue a leitura para ficar por dentro de tudo o que já se sabe sobre o BERT.

Como o BERT funciona?

Baseada em rede neural, a tecnologia do BERT tem como princípio o aprimoramento do processamento da linguagem natural. Seu objetivo é ajudar os mecanismos a compreender as frases das buscas de modo mais próximo ao entendimento humano, apreendendo o contexto completo dos termos inseridos para fornecer resultados mais relevantes.

Isso significa que, com o novo recurso, os mecanismos conseguem interpretar o significado correto de uma palavra observando também os termos que vêm antes e depois dela. Isso possibilita uma melhor compreensão das buscas em comparação com o processamento de palavras individualmente e em ordem.

Ao entender a intenção que há por trás da pesquisa, e não apenas as palavras de maneira isolada, é possível melhorar a qualidade dos resultados entregues. Para exemplificar, vamos dar uma olhada em um exemplo fornecido pelo Google:

 

BERT - Antes e depois

Fonte: Google

 

Nayak explica que, antes do BERT, os algoritmos não entendiam a importância da conexão trazida pela palavra “to” (para, em inglês), mostrando resultados sobre cidadãos dos EUA viajando para o Brasil. Com o BERT, os mecanismos de busca conseguem compreender que a intenção é obter informações referentes à ida do Brasil para os Estados Unidos e, assim, oferecer resultados muito mais relevantes.

O novo sistema faz com que os computadores entendam as sutis nuances da linguagem de uma maneira mais próxima à compreensão humana. Com isso, será possível obter resultados úteis ao realizar as buscas escrevendo de maneira mais natural e próxima à forma como falamos no dia a dia.

As mudanças trazidas pelo recurso estendem-se aos featured snippets, conhecidos como a posição zero do Google, que também deverão trazer conteúdos mais pertinentes à busca realizada. Tudo isso contribuirá para criar uma experiência melhor aos usuários do Google, como eu e você.

E agora, como fica o RankBrain?

O primeiro sistema de inteligência artificial desenvolvido pelo Google, conhecido como RankBrain, foi mencionado pela primeira vez em 2015. Sua principal função é fornecer resultados mais relevantes ao interpretar a frase como um todo, em vez de se atentar a cada palavra individualmente.

Mas, afinal, será que o RankBrain será substituído pelo novo recurso? Na verdade, não. Existe a possibilidade de que ele atue em conjunto com o BERT para oferecer melhores resultados de pesquisa. Sendo assim, dependendo da busca realizada, qualquer uma das tecnologias — ou uma combinação delas — poderá ser utilizada para fornecer o resultado mais adequado.

Como se adequar às mudanças do BERT?

Provavelmente, você deve estar se perguntando: o que acontecerá com as técnicas de SEO (Search Engine Optimization)? A boa notícia é que, em sua grande maioria, elas continuarão válidas — especialmente no que diz respeito à otimização do conteúdo para pessoas, e não robôs. Além disso, é pouco provável que já existam maneiras de otimizar páginas especificamente para os sistemas de inteligência artificial do Google.

Entretanto, com a valorização cada vez maior do contexto e da qualidade do conteúdo pelos motores de busca, a repetição de palavras-chave tende a perder sua importância. Por isso, faça como o Google: preze pela qualidade de seus textos, e não pelo uso repetitivo de determinados termos.

Também é importante observar que, como os resultados tenderão a ser ainda mais específicos, estamos diante de uma oportunidade ainda maior de adquirir posições no Google ao explorar palavras-chave long tail, que são aquelas mais longas e com maior especificidade.

O principal objetivo do Google ao implementar o BERT é melhorar a compreensão do contexto das buscas para oferecer resultados mais relevantes e úteis para os usuários. Por isso, se você já produz conteúdos únicos, completos e que vão de encontro às necessidades de sua persona, fique tranquilo: você está no caminho certo! Afinal, o Google não deseja que você otimize seus textos para os algoritmos, mas, sim, para os leitores.

Como ainda não há previsão de quando a tecnologia estará disponível em nosso idioma, minha recomendação é: fique atento aos indicadores de suas páginas e não deixe de ler as últimas atualizações do Google sobre o assunto. Assim, você não será pego de surpresa pelas mudanças e conseguirá reagir a elas, otimizando ainda mais seus conteúdos.

E então, o que achou de saber mais sobre o novo recurso do Google? Se este artigo foi útil para você, compartilhe-o em suas redes sociais para que seus amigos também fiquem por dentro da atualização!

Alessandra Muniz

Redatora da Agência Poussée. Formada em Comunicação Mercadológica com especialização em Gestão de Mídias Digitais. O que me impulsiona é criar textos que, efetivamente, gerem valor e autoridade para os nossos clientes.

Deixe uma resposta

Fechar Menu