Marketing emocional: como atrair clientes pela emoção?

Marketing emocional: como atrair clientes pela emoção?

Marketing emocional é a estratégia de utilizar as ações de marketing para acessar ou despertar certas emoções nos compradores. Neste artigo vamos explicar por que esse marketing é tão eficaz e quais são as formas de utilizá-lo.


Tem mais, também queremos mostrar que para utilizar uma boa ação de marketing emocional não é preciso investir muitos recursos. Basta saber o que fazer e conhecer a fundo os seus consumidores.


Então, vamos lá. 

O que é o Marketing Emocional?

Você já ficou emocionado assistindo a um comercial?

 

Saiba que isso é muito comum, pois há uma vertente no marketing que fala diretamente com os sentimentos dos consumidores, o marketing emocional.

 

As emoções são capazes de fazer as pessoas tomarem decisões que não tomariam somente pelo viés da razão.

 

Embora a maioria das abordagens modernas de marketing busquem despertar sentimentos nos compradores, pelo menos até certo ponto, estabelecer uma conexão emocional com o público-alvo é o objetivo principal do marketing emocional. Então, o marketing emocional é 100% focado nessas estratégias.

Por que o Marketing emocional faz sucesso?

 

A ideia é aproveitar uma conexão emocional para convencer o espectador a concluir uma ação, seja comprar um produto, se inscrever em uma lista de e-mails ou qualquer outro exemplo.

 

Algumas pesquisas psicológicas sugerem que temos duas maneiras distintas de pensar e tomar decisões: racional e emocional.


Contudo, a maneira racional de pensar é sempre acionada por uma emoção. Por exemplo, é o medo de perder dinheiro (emoção) que faz você avaliar friamente um investimento (racional). 

 

Quando se trata de marketing, as marcas geralmente apelam para a mente racional – dão aos consumidores os fatos e eles tomam uma decisão por seus méritos. Pulando o gatilho emocional.

 

Sendo assim, quando uma marca usa o marketing emocional conscientemente, ela tem um poder quase insuperável em mãos.

Nosso cérebro é emocional

A maioria das decisões são tomadas usando nossas emoções ou instintos.

 

Já que elas estão nas estruturas do nosso “cérebro antigo” são geralmente as primeiras a processar informações e, portanto, são as mais poderosas a serem ativadas. Logo, mesmo que você se esforce muito, é bem provável que sinta uma emoção muito antes de deixar a razão agir.

Por isso que a emoção vem SEMPRE em primeiro lugar, não importa a situação. Primeiro sente-se a emoção, depois racionaliza-se sobre o que foi sentido.

 

E os resultados são incríveis, veja: 

 

  • Anúncios emocionais aumentaram em 23% as vendas;

 

Consumidores que têm uma experiência emocional positiva com a marca:

 

  • têm 8,4 vezes mais chances de confiar na empresa;
  • são 7,1 vezes mais propensos a comprar novamente;
  • são 6,6 vezes mais propensos a perdoar um erro da empresa.

 

Quais são as emoções mais desejadas pelas marcas?

 

Uma lista de emoções que as marcas desejam, são: 

 

  • Satisfação: quando a marca atende as expectativas;
  • Identidade: quando os clientes se sentem representados pela marca;
  • Melhoria: quando a marca passa uma sensação de que torna o cliente melhor;
  • Ritual: o sentimento que a marca faz parte da rotina dos clientes;
  • Nostalgia: quando a marca evoca boas lembranças;
  • Presença: quando a marca se torna presente na mente do cliente.

 

Perceba que as emoções não estão representadas pelos sentimentos. Pois existe uma diferença entre “Nostalgia” (uma emoção), e o amor, a ternura, etc (sentimentos).

 

Aí vem o truque, se uma marca deseja estar presente na mente do cliente, então ela tem que saber quais emoções precisa despertar. 

Principais sentimentos na hora das compras

Aqui está uma lista de sentimentos que despertam ação nos consumidores. São eles: 

 

  • Medo: normalmente o medo de perder dinheiro, ou perder uma oportunidade;
  • Altruísmo: quando a compra está ligada com um bem maior;
  • Exclusividade: quando o cliente percebe que poderá ter algo único e especial;
  • Inveja: ligada à exclusividade, é o medo de perder para o outro;
  • Orgulho: é o gosto de ter algo e poder mostrar;
  • Felicidade: é o prazer de expressar sua felicidade por meio de um produto/ato ou serviço;
  • Ambição: é o desejo de utilizar o produto ou serviço para atingir um novo patamar.

 

Leia em seguida: Dicas pouco conhecidas de Inbound Marketing

Agora basta mesclar tudo

Prontinho, misturando as principais emoções com os principais sentimentos, a sua marca já é capaz de imaginar como serão as ações de marketing emocional. E com isso, atingir melhores resultados nas suas ações de marketing digital.


Precisa de ajuda para colocar seu marketing emocional em ação? Entre em contato conosco. Teremos o maior prazer em ajudar.

 

Agradecemos a leitura e até a próxima!

Suzana Chiodo

Co-founder da Agência Poussée, empreendedora, formada em Publicidade e Propaganda, especialista em branding e construção de marcas. Criei a Poussée para ajudar marcas a alinharem seu negócio e comunicação a partir do propósito. Meu objetivo é provocar a transformação de negócios e impactar em seu crescimento de forma humana, responsável e totalmente focada em performance.

Deixe um comentário

Fechar Menu